Família do jogador do S. Paulo assassinado recebeu caixa com o pénis um mês depois do crime

O funeral já tinha sido realizado e o órgão foi posteriormente enterrado junto com o corpo

Edison e Cristiana Brittes
Edison e Cristiana Brittes
Edison e Cristiana Brittes

O caso da morte de Daniel Correa continua a revelar contornos macabros. A família do jogador do São Paulo, barbaramente assassinado a 27 de outubro do ano passado depois de ter estado numa festa de aniversário de uma adolescente, está a ser ouvida no âmbito da instrução do processo e a tia de Daniel, Regina Correa, contou que viveu "o pior dia" da sua vida quando recebeu do Instituto de Medicina Legal uma caixa com o pénis do sobrinho, quase um mês depois do crime.

Daniel sofreu uma morte violenta em São José dos Pinhais (Paraná) depois de ter estado na festa de aniversário de Allana Brittes, filha de Edison Brittes. Já em casa da aniversariante, numa 'after party', o jogador teria entrado no quarto de Cristiana Brittes, mulher do homicida confesso, para tirar umas fotografias, que depois enviou a um grupo de amigos pelo WhatsApp.

Edison disse depois que apanhou o jogador a tentar violar a mulher (uma tese que a polícia não corrobora, pois Daniel estaria embriagado) e, com a ajuda de outros convidados da festa, agrediu violentamente Daniel Correa, primeiro dentro de casa, depois no exterior. O jogador foi colocado na bagageira de um carro e conduzido a uma zona de mato, onde foi morto e onde lhe foi cortado o pénis.

Daniel foi enterrado em Minas Gerais poucos dias depois do homicídio, mas sem o pénis. "Depois de 20 dias perguntei o que tinha sido feito com o corpo do Daniel, nós queríamos fazer um enterro completo. Foi-nos dito que depois o Instituto de Medicina Legal mandaria a parte cortada. Receber aquela caixa com o pénis cortado foi o pior dia da minha vida. Pelo que soube dos depoimentos, ele foi muito maltratado", contou a tia e madrinha do jogador em tribunal, citada pelo site UOL. 

O Instituto de Medicina Legal entregou a caixa à funerária, que por sua vez a encaminhou para a família. O órgão foi depois enterrado com o corpo.

Regina, que não conseguiu evitar as lágrimas, explicou também que a sua filha viu o corpo do primo e que ficou muito impresionada: "Ela disse-me 'mãe, ele está desfigurado de tanto que apanhou. O pescoço está cortado e é verdade que cortaram o pénis'."

Recorde-se se encontram em prisão preventiva Edison Brittes, a sua mulher Cristiana Brittes, a filha Allana, bem como mais três convidados da festa, que terão participado nas agressões.

1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Brasil

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.