Oficial: Flamengo vai defrontar Palmeiras sem o apoio dos seus adeptos nas bancadas

Confederação Brasileira de Futebol acatou a recomendação do Ministério Público de Estado de São Paulo

O jogo entre o Palmeiras e o Flamengo, agendado para este domingo, em São Paulo, só contará no estádio com adeptos da equipa da casa, ou seja, os adeptos negro-rubro não poderão entrar no Allianz Parque. 

No início da semana, num ofício, enviado à Federação Paulista de Futebol, a Polícia Militar e o Ministério Público argumentavam que o jogo só deveria ter adeptos de um clube para evitar confrontos e a Confederação Brasileira de Futebol decidiu aceitar a recomendação do Ministério Público do Estado de São Paulo.
 
As autoridades temem episódios de violência, considerando que as recentes provocações entre as claques podem ser o rastilho para momentos de verdadeira tensão e violência. No entanto, o Flamengo já reagiu, lamentando a decisão, que considera representar "uma desobediência das regras e princípios da competição, além de um benefício ao infrator - que jogará na presença única da torcida alviverde, podendo assim obter vantagem desportiva - e a criação de precedentes catastróficos para a organização do futebol brasileiro.

O Flamengo refere mesmo que "a não permissão da convivência de rubro-negros e alviverdes decreta a falência da segurança pública e a morte da cultura de arquibancada do futebol brasileiro."


Também não haverá transmissão do jogo para Portugal

O jogo da 36.ª jornada do Brasilierão, agendado para este domingo, às 19 horas, também não terá transmissão em Portugal, ao contrário do que tem acontecido desde 28 de setembro.


A posição da Confederação Brasileira de Futebol: 

"A CBF vem a público informar que, por recomendação do Ministério Público do Estado de São Paulo, amparada em requerimento formulado pela Polícia Militar daquele Estado, não haverá a venda de ingressos para a torcida do Flamengo para a partida a ser disputada no próximo dia 01 de dezembro, entre a Sociedade Esportiva Palmeiras e o Clube de Regatas do Flamengo.

Embora seja contrária à realização de partidas de futebol com torcida única, a CBF, sempre a favor da integridade física dos torcedores, mas preocupada com o equilíbrio esportivo, responsabilidade institucional e compromissos econômicos decorrentes, se viu compelida, em caráter excepcional, a acatar a recomendação em questão, em razão do grave temor manifestado pelos órgãos de segurança pública de São Paulo quanto à possibilidade de enfrentamentos violentos entre torcedores das duas equipes.

De qualquer forma, a CBF não pode deixar de consignar que, a despeito de risco similar, as autoridades públicas do Rio de Janeiro não obstruíram a presença dos torcedores palmeirenses na partida
disputada no primeiro turno, o que permitiu que o Clube de Regatas do Flamengo efetuasse a venda de 4.000 ingressos à torcida do Palmeiras na ocasião.

A CBF sempre respeitará decisões embasadas provenientes de autoridades responsáveis, como o Ministério Público do Estado de São Paulo e a Polícia Militar do Estado de São Paulo, mas enfatiza que a adoção da torcida única afeta direitos de terceiros, que vão desde os patrocinadores, passando pelos telespectadores e atingindo, principalmente, os torcedores."


O comunicado do Flamengo na íntegra:

"O Clube de Regatas do Flamengo vem a público lamentar a decisão da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) de acatar a recomendação do Ministério Público de Estado de São Paulo (MP-SP). O órgão indicou à Federação Paulista de Futebol (FPF) que realizasse a partida entre Flamengo e Palmeiras, no Allianz Parque, pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro, com torcida única, proibindo venda de ingressos para a torcida rubro-negra.

O acate desta decisão representa uma desobediência das regras e princípios da competição, além de um benefício ao infrator - que jogará na presença única da torcida alviverde, podendo assim obter vantagem esportiva - e a criação de precedentes catastróficos para a organização do futebol brasileiro. A não permissão da convivência de rubro-negros e alviverdes decreta a falência da segurança pública e a morte da cultura de arquibancada do futebol brasileiro.

O Clube de Regatas do Flamengo traz à tona os seguintes argumentos:

- O artigo 86 do Regimento Geral das Competições de 2019 prevê ao clube visitante direito de adquirir a quantidade máxima de 10% da capacidade permitida ao estádio. A não permissão deste direito seria uma grave violação dos direitos dos torcedores e clubes, indo contra a natureza do espetáculo e da competição;

- Não foi respeitado o princípio da reciprocidade: no primeiro turno, o Flamengo garantiu à Sociedade Esportiva Palmeiras a carga de 10% dos ingressos para o jogo no estádio do Maracanã, tendo a Polícia Militar garantido completamente a segurança e integridade física de todas as pessoas envolvidas no evento;

- O MP-SP ou qualquer outro Ministério Público não tem legitimidade para fazer recomendações a entidades privadas. O mesmo deveria ter pleiteado tal cenário junto ao Poder Judiciário.

Considerando os fatos supracitados, o Clube irá encaminhar o pedido do MP para a Procuradoria do STJD, para que o órgão adote as medidas cabíveis.  Se a Polícia Militar não se sente em condições de dar segurança a todos os envolvidos na partida, esta deveria ser realizada em outro local ou com portões fechados.

O Clube de Regatas do Flamengo reitera seu total repúdio à violência e rechaça qualquer tipo de manifestação contrária à cultura do futebol.

Conselho Diretor"

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Brasil

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.