Polícia do Paraguai desconfia que Ronaldinho e o irmão podem estar envolvidos em outros crimes

Perícia aos telemóveis dos dois brasileiros foi determinante para ambos continuarem em prisão preventiva

• Foto: Reuters

A perícia levada a cabo aos telemóveis de Ronaldinho Gaúcho e do irmão foi fundamental para que as autoridades judiciais do Paraguai mantivessem os dois brasileiros em prisão preventiva, segundo revela este sábado a imprensa canarinha.

O Ministério Público do Paraguai desconfia que os antigos futebolistas possam estar envolvidos em outros crimes, além da utilização de passaportes falsos, pelo qual foram detidos. Por isso, alega que Ronaldinho e Assis têm de continuar presos, de modo a evitar uma eventual fuga.

As suspeitas estão relacionadas com lavagem de dinheiro. Os dois irmãos podem ficar em prisão preventiva até 6 meses.

1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Brasil

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.