Oficial: Luis Enrique volta a assumir o comando da seleção espanhola

Robert Moreno garantiu a qualificação para Euro'2020 mas acabou por sair

• Foto: Reuters

A federação espanhola anunciou esta terça-feira o regresso de Luis Enrique ao cargo de selecionador nacional. "Podemos dizer que Luis Enrique regressa ao seu posto de trabalho", disse Luis Rubiales, o presidente da federação, em conferência de imprensa.

Robert Moreno, ex-adjunto de Luis Enrique, assumiu o cargo quando o então selecionador teve de se afastar, devido à doença da filha, que entretanto faleceu. Conseguiu o apuramento da seleção espanhola para o Europeu do próximo ano mas não vai liderar a equipa durante a prova e o seu antecessor vai reocupar a posição de selecionador.

Moreno não gostou e conta a imprensa espanhola que se despediu dos jogadores em lágrimas. A decisão da federação está a gerar polémica em Espanha, mas Rubiales explicou em conferência de imprensa que foi Moreno quem quis abandonar o cargo.

"A 19 de junho deixei claro ao Robert Moreno que no momento em que o Luis quisesse voltar, voltaria. O Luis Enrique tinha as portas abertas. Desde a morte da sua filha falei com ele três vezes. A primeira para lhe dar os pêsames, a segunda numa reunião em meados de outubro e a terceira ontem. Robert Moreno disse-nos, numa reunião, comigo e com o Molina [diretor desportivo da federação], que tinha falado com o Luis e que ele lhe tinha dito que queria voltar a treinar. Soubemos pelo Robert. O Molina disse-me 'temos de falar com o Luis'", contou.

E prosseguiu: "Falámos com ele de questões pessoais e depois disse-nos que queria voltar. No domingo o Robert Moreno, numa conversa com o Molina, exigiu saber qual seria o seu futuro; o Molina disse-lhe para esperar pela qualificação. Ele respondeu que queria saber já. Aí o Molina explicou-lhe que se o Luis Enrique quisse voltar, nós teríamos de ponderar essa possibilidade." 

"Na segunda-feira recebemos uma mensagem do Robert a dizer que queria acordar a sua saída, pois não pretendia ser um empecilho ao regresso do Luis Enrique. Foi ele quem nos disse que queria acordar a saída. Disse-nos no dia do jogo que queria sair. E perante a sua insitência, o Molina telefonou-me a dizer que tínhamos um problema, pois graças a um comentário seu o Robert não queira continuar na seleção. Pediu-me para perguntar ao Luis Enrique se queria voltar", continou.

"Telefonei ao Luis Enrique, expliquei-lhe o que se passava com o Robert Moreno, perguntei-lhe se estava disposto a voltar e ele respondeu-me que sim. Agradeceu-me por cumprir com a minha palavra. Respeito todas as opiniões, mas sempre fomos claros neste aspeto: as portas sempre estiveram abertas para ele", adiantou.

"Sempre atuámos com respeito, integridade, transparência e rigor. A federação é leal, tanto para com Luis Enrique como para com a pessoa que ocupou o seu posto. O que acelerou tudo isto foi o facto de Robert Moreno ter querido saber tudo já. Para terminar, devo dizer que o Luis Enrique teve de abandonar a seleção pelo pior motivo que pode um pai ter. O Luis Enrique é o líder deste projeto. Confiamos nele e no seu staff. Tinha a promessa de que as portas estavam abertas, este projeto vai prosseguir até ao Mundial do Qatar. Queremos desejar-lhe um feliz regresso", concluiu. 

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Espanha

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.