Klopp: «É um crime jogar-se a 26 e a 28 de dezembro»

Técnico alemão junta-se ao coro de críticas ao calendário

Os anos passam, a tradição mantém-se e as críticas também. Este ano não é diferente e em Inglaterra os técnicos voltaram esta semana a deixar reparos à forma como o calendário de final de ano está definido, especialmente por causa do elevado número de partidas que as equipas da Premier League serão obrigadas a jogar. Nomeadamente aquelas que terão de jogar a 26 e 28 de dezembro, algo que para Jürgen Klopp é um verdadeiro crime.

"Todas as pessoas o querem. Nenhum dos treinadores tem problemas em jogar no Boxing Day, mas jogar no dia 26 e depois no 28 é um crime. Não está correto e mesmo assim temos de fazê-lo. Este ano jogamos a 26 e a 29 e é como se fossem umas férias. Percebo todos os que dizem que não deve acontecer. Não se estão a queixar, estão a dizê-lo. Isto não é pelo espectáculo. Não haveria problema se mais equipas pudessem jogar a 26 e a 29. Não há nenhuma razão para que tal não suceda", considerou o técnico do Liverpool.

De resto, Klopp suporta a sua teoria na ciência, que defende um período de recuperação adequado. "A ciência desportiva não te consegue dar nada para isto. O corpo necessita de um período específico de tempo para recuperar. É isso que diz a ciência, mas nós ignoramos isso por completo", acrescentou.

O Liverpool, refira-se, é uma das equipas que 'escapa' aos dois jogos em 48 horas, já que defronta esta noite o Leicester e apenas volta a jogar no domingo, diante do Wolverhampton. Menos sorte têm, por exemplo, os foxes, que voltam a jogar no sábado, diante do West Ham, numa partida que se inicia menos de 48 horas depois da desta noite (o jogo de sábado é às 17h30).

Por Fábio Lima
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Inglaterra

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.