Lançamento da camisola do Arsenal deu para o torto e deixou Adidas em apuros

Marca promoveu campanha nas redes sociais, mas a iniciativa deu para o torto

Estalou a polémica em Londres por causa da nova camisola do Arsenal. Tudo porque a Adidas decidiu dar a possibilidade de os fãs tomarem de assalto a conta da marca no Twitter, levando a que fossem partilhadas mensagens de índole antisemita, numa clara alusão à histórica rivalidade com o Tottenham. A marca alemã pediu desculpa pelo sucedido, apagou os 'tweets' em causa e travou a campanha lançada, mas a verdade é que o mal estava feito...

Tudo começou na segunda-feira pela manhã, quando a Adidas desafiou os adeptos do Arsenal a responderem a uma publicação com a hashtag #DareToCreate, a qual receberia automaticamente uma resposta com a camisola personalizada com o nome do utilizador de Twitter em causa na camisola (como se pode ver acima). Houve quem tenha levado a questão a sério, optando por colocar o seu nome real; houve quem tenha aproveitado para colocar o nome de um jogador famoso; e houve quem tenha optado por espalhar o ódio.

Como foi o caso de algumas das contas que aceitaram o desafio, como @GasAllJewss, @MadelineMcCann ou @96wasnotenough, três 'nicknames' que são claramente abusivos. O primeiro, por exemplo, pode traduzir-se como "gaseiem todos os judeus", ao passo que o último se refere à tragédia de Hillsborough, dizendo que aquele brutal acontecimento não foi suficiente.

Pedido de desculpas

Através de comunicado, a Adidas desculpou-se pelo sucedido e prometeu investigar. "Como parte da nossa parceria de lançamento da nova camisola do Arsenal, tomámos conhecimento da utilização abusiva da ferramenta de personalização automática, que fora criada para permitir que os adeptos colocassem os seus nomes na nova camisola. Devido a uma minoria que decidiu criar versões ofensivas desta iniciativa, decidimos suspendê-la imediatamente e a nossa equipa de Twitter está de momento a investigar os factos", declarou um porta-voz da marca alemã.

Já o Arsenal "condena totalmente o uso de linguagem desta natureza", que no seu entender "não tem lugar no futebol ou na sociedade". "Trabalhamos bastante no clube para encorajar a diversidade e inclusão através do programa 'Arsenal for Everyone', lançado em 2008 como parte da celebração da diversidade reinante na família do Arsenal", declarou o emblema do norte de Londres.

Por Fábio Lima
2
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Inglaterra

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.