Juventus quer reunir-se com Cristiano Ronaldo e companheiros esperam pedido de desculpas

'Gazzetta dello Sport' escreve que o português não será, todavia, multado depois do sucedido no jogo com o Milan

• Foto: Reuters

A 'Gazzetta dello Sport' revela esta terça-feira que Cristiano Ronaldo não será multado pela Juventus na sequência do sucedido domingo, no jogo com o Milan, mas o clube quer reunir-se com o português e espera que o craque se retrate junto dos companheiros.

Cristiano Ronaldo não gostou de ser substituído (pela segunda vez consecutiva) e saiu diretamente para o balneário, abandonando em seguida o estádio. Segundo o jornal desportivo italiano, Andrea Agnelli, o presidente do clube, os dirigentes e todo o plantel não se preocuparam muito com a reação do português, mas sim em comemorar o triunfo, que surgiu através de um golo de Paulo Dybala, o argentino que entrou para o lugar de Ronaldo.

Só que o caso não está esquecido. Os bianconeri querem resolver o problema sem muito alarido, dentro de quatro paredes. Ronaldo não será multado, mas o clube quer reunir-se com ele assim que terminar os compromissos pela seleção portuguesa. Fabio Paratici, o diretor desportivo, já terá falado domingo à noite com Jorge Mendes e com o advogado do jogador, no sentido de o problema ser rapidamente resolvido. Os companheiros de equipa, por sua vez, esperam um pedido de desculpas, escreve o mesmo jornal.

Assunto tratado com pinças

A Juventus quer mostrar pulso firme, mas sabe por outro lado que não pode incompatibilizar-se com o jogador. Cristiano Ronaldo é um ícone comercial e a força motriz que a Juventus está a utilizar no sentido de se tornar numa marca global, conforme constata a 'Gazzettla dello Sport'. Ronaldo é a chave para os bianconeri entrarem noutros mercados, como a Ásia.

Além dos 28 golos que marcou na época passada, o português representou mais de um milhão de camisolas vendidas, mais 58 milhões de euros em receitas e um acompanhamento digital que subiu 68 por cento.

Com Ronaldo a Juventus colocou-se num segmento de mercado superior, acessível apenas aos grandes clubes. O contrato com a Adidas, por exemplo, passou de 21 para 51 milhões de euros; a Jeep garantiu um aumento de 25 milhões, sendo que um novo acordo com aquela marca automóvel será assinado já em 2021.

Por isso, não interessa à Juventus hostilizar Ronaldo. Mas também é preciso fazer-lhe ver que o comportamento que teve não foi o mais correto. É necessário encontrar um ponto de equilíbrio, que agrade a toda a gente, e resolver o problema da melhor forma possível.


Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Itália

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.