Jorge Rito confirma renúncia do ABC à Challenge e aponta ao título nacional

Novo técnico dos minhotos explicou decisão tomada

• Foto: Move Notícias

O novo treinador do ABC/UMinho, Jorge Rito, confirmou esta terça-feira a ausência na Taça Challenge na próxima época, mas prometeu lutar para ganhar todas as competições nacionais em 2017/18. O técnico que sucede a Carlos Resende, contratado pelo Benfica, foi apresentado no Flávio Sá Leite, pavilhão que conhece bem, uma vez que já leva 26 anos ao serviço do clube bracarense na formação e na equipa principal. Jorge Rito confirmou que o ABC/UMinho não vai disputar a Taça Challenge na próxima temporada, como tinha direito por ter conquistado a Taça de Portugal.

"A decisão é unânime. Temos muitos problemas internos para resolver e esta ausência vai-nos permitir reequilibrar as contas. Foi uma decisão acertadíssima da nossa administração e, do ponto de vista desportivo, não é uma grande perda. Não estamos a falar de uma Champions ou mesmo EHF, que motiva muito os jogadores", considerou, defendendo que a decisão vai permitir "mais tempo de recuperação" aos jogadores para estarem mais "focados" na conquista dos títulos nacionais.

As limitações financeiras pesaram decisivamente na renúncia, com o presidente do ABC, João Luís Nogueira, a apontar o dedo à EHF, que terá "prometido" um prémio de 60 mil euros, mas retirou parte da verba "por causa dos direitos de imagem".

"Precisamos de recuperar financeiramente o clube e, assim, pouparemos cerca de 100 mil euros", disse, notando ainda que a ausência da competição europeia, que o ABC já conquistou, permitirá que o pavilhão Flávio Sá Leite comece a ser intervencionado.

"Jogámos com 40/50 graus em dias de calor. Os balneários assustam qualquer um. Assim, os responsáveis da cidade terão uma oportunidade para calendarizarem a requalificação do pavilhão", disse.

O ABC/UMinho vai perder alguns jogadores importantes, como Pedro Seabra, Ricardo Pesqueira, Pedro Spínola ou Dario Andrade, que terminou a carreira, mas Jorge Rito não considera que terá um plantel mais fraco.

"Teremos algumas caras novas, mas, do ponto de vista estrutural, não vejo o plantel de 2017/2018 mais fraco. Já contratámos três jogadores, saíram quatro e conto com os que cá ficam, alguns deles atletas nucleares e com experiência, casos do Humberto Gomes e do Hugo Rocha, e outros, como Martins e Branquinho, já com alguns anos de casa. Vamos lutar pelo campeonato, Supertaça e Taça de Portugal", assegurou.

Apesar da "herança pesada", como notou o presidente do ABC, João Luís Nogueira, o novo técnico quer manter o "excelente nível" das temporadas anteriores.

"Entrei aqui em 1987, há 30 anos, e estive quatro anos fora. Nestes 30 anos, o ABC teve quatro treinadores. O professor António Cunha, responsável pela minha vinda para cá, o Pavel Djenev, o Aleksander Donner, que conquistou 11 títulos em oito anos, e estes últimos seis anos esteve cá o Carlos Resende, que fez um trabalho excelente. O ABC é um clube que estima muito bem os seus treinadores. A bitola está muito elevada, mas estamos aqui para tentar manter o nível do ABC e, claro, lutar por títulos", reforçou.

Já estão garantidos três reforços, Nuno Silva, Hugo Rosário (ex-Madeira SAD) e Belmiro Alves (ex-AC Fafe), sendo que vão subir aos seniores Rafael Peixoto (ponta-esquerda), Rui Jorge Ferreira (pivot), Carlos Bandeira (ponta-direita) e Ricardo Panta Ferreira (será o terceiro guarda-redes dos seniores).

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Andebol

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.