Paulo Pereira: «O próximo objetivo é ir aos Jogos Olímpicos»

Selecionador radiante com a melhor classificação de sempre em europeus

• Foto: EPA

Portugal garantiu esta quarta-feira a presença no jogo de atribuição dos 5º e 6º lugares no Europeu de andebol com triunfo (34-26) sobre a Hungria e assegurou assim a melhor classificação de sempre na competição, depois do 7º posto alcançado em 2000, na Croácia.

Após a partida realizada em Malmo, na Suécia, o selecionador nacional não escondeu a enorme satisfação pelo feito alcançado e teceu rasgados elogios ao atletas lusos e à grande exibição diante da Hungria. 

"Tenho jogadores de grande caráter. Hoje, fizemos um jogo quase perfeito. Foi fantástico. Agora, vamos pensar como vamos bater o nosso próximo adversário [Alemanha]. Vai ser difícil, mas vamos tentar. A Hungria lutou, tal como nós lutámos, pois é um país de andebol. Estivemos muito bem na defesa. Penso que a chave foi mesmo a defesa. O 'sete contra seis' foi OK, mas ganhámos o jogo na segunda parte sem jogarmos em 'sete contra seis'. Sabíamos que para ganhar por cinco golos de diferença, pelo menos, tínhamos de ser perfeitos", afirmou Paulo Pereira.

Além da luta pelo 5º lugar, Portugal vai ainda disputar o torneio de qualificação para os Jogos Olímpicos de Tóquio e o técnico luso assume o desejo de chegar ao Japão, mas está ciente das dificuldades.

"Temos de fazer este tipo de jogos mais vezes, com a concentração que tivemos neste jogo. Hoje, fizemos história, porque conseguimos alcançar o melhor resultado de sempre. Já o fizemos. Ainda por cima com direito de estar num torneio pré-olímpico. É excecional. O próximo objetivo é ir aos Jogos Olímpicos. É estrondosamente difícil, quase impossível. Tal como isto", analisou.

Muito para melhorar

"Este grupo tem sido fantástico, com alguns altos e baixos, o que é normal numa competição deste género. Tenho de lhes fazer uma vénia. Mas ainda há muito por fazer. É preciso manter este nível mais tempo e em mais jogos. Estamos aqui a jogar com a fina flor do andebol mundial e tivemos quatro vitórias em 15 dias, quando em 25 anos tínhamos conseguido seis. As medalhas ainda estão longe. Esta pressão foi positiva, mas os atletas chegam aqui, após 14 anos de ausência, e começa a falar-se apuramento para as meias-finais.

Surpresa com o 'sete contra seis' logo de início

"Procuro sempre surpreender o adversário. Nunca tinha começado a jogar 'sete contra seis'. E sabia que eles não sabiam como o Belone [Moreira] marcava livres de sete metros. A partir do momento em que defendemos o pivô e os remates mais ou menos previsíveis, a defesa ficou excecional. Estamos todos de parabéns. São muito eficazes de nove metros, mas houve 'tiros' para fora e não foi por acaso. Eliminámos a relação com pivôs e isso permitiu-nos maior segurança para vencer o jogo".

Duelo com a Alemanha

"Espero oito milhões a ver Portugal [no jogo com a Alemanha] e vamos trabalhar para ganhar. Podemos perder, porque a Alemanha é a Alemanha, como se diz no futebol. Espero que, desta vez, no fim não ganhe a Alemanha. Hoje, vamos fazer uma festa pequenina entre nós e amanhã [quinta-feira] vamos pensar no jogo com a Alemanha".

Por Lusa

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Andebol

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.