Vergonha em Mafra

Péssimas condições de alojamento na fase final do Nacional de sub-16 feminino indignam pais

A organização da fase final do Nacional feminino de sub-16 (no último fim de semana), a cargo da Associação de Lisboa (ABL), foi considerada "vergonhosa" devido às péssimas condições de alojamento das equipas. A denúncia foi feita nas redes sociais pelos pais das atletas, instaladas no Quartel de Mafra, classificado como "um dos lugares mais nojentos do país", devido aos "quartos sem iluminação, sujos, com um cheiro nauseabundo, colchões manchados de urina, janelas sem vidros, uma retrete para toda a equipa...", pode ler-se na missiva dos pais da equipa algarvia do Ferragudo.

As queixas estenderam-se às refeições, com "sopa queimada, esparguete aquecido, coxas de frango mal cheirosas e quantidades minúsculas de comida".

A equipa que se sagrou campeã, a Quinta dos Lombos, não teve problemas dada a proximidade de Carcavelos, mas a Escola Francisco Franco, da Madeira, resolveu mudar-se para um hotel. Já a turma algarvia passou uma noite sem dormir no quartel, com as jovens a chorar, mudando-se no dia seguinte para o ginásio do Pavilhão de Mafra, enquanto o Sporting Figueirense não teve alternativas e permaneceu no local.

Os responsáveis dos clubes acusam a ABL como principal responsável, dado que "validou as instalações do quartel". Já entidades como a câmara e os Linces de Mafra, clube local, "tudo fizeram para remediar a situação".

"Espero que nada disto se repita. Este Nacional foi um milhão de vezes pior do que as condições que a candidatura do Algarve poderia oferecer", considerou Nuno Pedro, diretor do Ferragudo.

Já Oriana Cação, presidente do Sp. Figueirense, revelou: "Nunca passei por uma situação destas. É preciso apurar para onde foram as verbas dadas à organização."

Paulo Freitas, treinador das madeirenses, questiona a verdade desportiva, dado que "a Quinta dos Lombos não teve problemas." E reclama cerca de 700 euros em hotéis, "uma despesa que o clube não deveria suportar."

Federação lamenta  e promete aumentar a supervisão

A Federação (FPB) reagiu ontem em comunicado às denúncia das péssimas condições de organização da final four do Nacional feminino de sub-16 em Mafra, comprometendo-se a evitar situações semelhantes no futuro: "A FPB reforça o seu empenho no aumento da qualidade da organização dos seus eventos desportivos, comprometendo-se a aumentar a supervisão dos mesmos." A FPB também responsabiliza a Associação de Lisboa (ABL), entidade que venceu a candidatura e recebeu verbas para o efeito, mas cuja "organização não decorreu da melhor forma, de acordo com os padrões exigidos". O caderno de encargos estipula, por exemplo, que o alojamento seja feito em hotéis de duas estrelas ou similares.

«Um dos lugares mais nojentos do país»: alojamento numa prova de basquetebol causa indignação



Por Alexandre Reis
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Basquetebol

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.