UFC: Conor McGregor fratura tornozelo e acaba derrotado por Dustin Poirier

Irlandês caiu no final do primeiro assalto, depois de apoiar mal o pé

Num dos mais aguardados combates do ano, Dustin Poirier venceu a desforra definitiva com Conor McGregor, levando a melhor numa luta que gerou enorme expectativa e que acabou por ficar 'estragada' (e decidida) logo ao final do primeiro assalto, depois do irlandês ter apoiado mal o pé e o ter torcido por completo. McGregor ainda aguentou 30 segundos neste estado, enquanto se defendia no chão dos ataques do norte-americano, mas mal soou a buzina deixou logo a indicação de que não podia continuar. Era impossível fazê-lo, até porque nem se conseguia colocar em pé.

Olhando aos cinco minutos anteriores - que acabou por ser a duração do combate -, McGregor apostou bastante no ataque ao norte-americano através de vários pontapés, alguns deles que foram bem certeiros e que deixaram marca, mas a verdade é que com o passar dos minutos, após uma entrada mais forte do irlandês, foi Poirier quem pareceu acabar por cima. Por algumas ocasiões colocou o irlandês no solo e encostado às cordas, mas nunca a ponto de se pensar que, naquele primeiro assalto, seria capaz de repetir o que fizera no segundo combate entre ambos, quando venceu a meio do segundo 'round'. Acabou por fazê-lo de forma inesperada e involuntária, beneficiando do azar do adversário.

Trump a assistir e uma saída de maca inesperada: o combate que correu (muito) mal a McGregor
Terminado o combate, a cena foi totalmente diferente daquela que vimos no início do ano, quando ambos os lutadores acabaram a luta como se fossem velhos amigos. Sete meses bastaram para tornar a sua relação quase em algo em torno do ódio, com Poirier a parecer pouco importar-se com a condição do seu oponente, que mesmo no chão nunca deixou de fazer o seu habitual 'trash talk'. E isso levou mesmo até a uma troca de insultos no octógono entre ambos no final.

Com mais uma vitória no seu registo, a 28.ª em 34 combates, Poirier deverá agora ter a sua chance de discutir o cinturão dos pesos leves diante de Charles Oliveira. Quanto a McGregor, enfrentará uma longa paragem até voltar aos octógonos... isto se voltar!

Houve uma bandeira portuguesa a brilhar

Além da luta principal, o UFC 264 contou ainda com uma estreia em português. Kris Moutinho, um lusodescendente, subiu ao octógono para enfrentar o super favorito Sean O'Malley e mesmo tendo sido chamado em cima da hora, mesmo tendo feito apenas pouco mais de duas semanas de preparação específica, saiu como uma das sensações da noite, tendo mesmo levado consigo o bónus de luta da noite.

É certo que levou 'pancada' de forma brutal por parte do adversário nesta luta de peso-galo, mas o que surpreendeu foi mesmo a sua capacidade quase inacreditável de levar e... continuar em pé. Moutinho aguentou até a pouco menos de 30 segundos do final do combate, quando o árbitro decidiu dar por finalizado o combate, depois de O'Malley ter acertado um dos seus inúmeros golpes no luso-americano. A questão é que Moutinho ficou em pé... e até acabou a reclamar porque queria mais!

Kris Moutinho pode ter perdido e ter perdido bem, mas a verdade é que esta atuação lhe abre portas na organização. Tudo isto tendo a bandeira portuguesa sempre presente, como fez questão de mostrar logo na entrada para o combate.
Kris Moutinho não esqueceu as suas origens e exibiu com orgulho a bandeira portuguesa (Getty Images)

Por Fábio Lima
3
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Desportos de combate

Notícias

Notícias Mais Vistas