Livramento partiu há 20 anos: «Até no berlinde e ping pong era bom!»

Foi banqueiro e a maior lenda do hóquei em patins português. Ramalhete lembrou o seu eterno amigo

A equipa campeã da Europa em 1976
Livramento ao serviço do Benfica
Livramento com as cores do Sporting
António Ramalhete e André Girão, passado e presente do Sporting
A equipa campeã da Europa em 1976
Livramento ao serviço do Benfica
Livramento com as cores do Sporting
António Ramalhete e André Girão, passado e presente do Sporting
A equipa campeã da Europa em 1976
Livramento ao serviço do Benfica
Livramento com as cores do Sporting
António Ramalhete e André Girão, passado e presente do Sporting

Foi há 20 anos que António Livramento, o alentejano de São Manços, deixou de luto o hóquei em patins português. Um AVC traiu aos 55 anos uma das maiores lendas da modalidade que conquistou tudo o que havia para ganhar. Duas décadas depois da sua morte, Record esteve à conversa com António Ramalhete, outra figura incontornável do hóquei que lembrou o seu amigo.

"Foi um jogador fora do normal, por muitos considerado o melhor do mundo. Tinha uma técnica e uma patinagem fora do normal. O Livramento tinha essas qualidades todas e realmente era um jogador admirado. Todos os outros reconheciam a sua supremacia. Tanto colegas como adversários. Ficou conhecido em todo o mundo", recorda o ex-guarda-redes.

Ao início, a paixão de Livramento era o futebol mas o jeito para marcar golos com os pés não era mesmo que tinha para marcar com o stick. Torcato Ferreira, antigo treinador, sugeriu que fosse experimentar o hóquei, mas Livramento torceu o nariz. Afinal, a paixão era mesmo o futebol, mas depois lá acabou por ceder. Com apenas 16 anos fez a estreia no Benfica. A partir de 1961 passou a representar a Seleção Nacional e o palmarés fala por si: sete vezes campeão da Europa e três vezes campeão do mundo.

Passagem por Itália, Benfica... e pelo Banco Pinto & Sotto Mayor

Na época 70/71, Livramento transfere-se para o Monza onde fica apenas uma época, tempo suficiente para deixar a sua marca em Itália. Volta ao Benfica, mas numa época em que desporto era amador, Livramento representou o Banco Pinto & Sotto Mayor, onde conciliava o hóquei com a profissão de banqueiro.

"O banco tinha um clube desportivo e nessa altura decidiu introduzir o hóquei porque havia um grupo de jogadores que jogavam e trabalhavam no banco. A equipa durou dois ou três anos", lembra o ex-guarda-redes.

Depois disso, vestiu a camisola do Sporting. Com a companhia de Ramalhete, Rendeiro, Chana e Sobrinho, o quinteto maravilha, venceu a Taça dos Campeões Europeus em 1976, numa equipa que ficou eternizada na história do clube e, para muitos, a melhor de sempre do emblema de Alvalade.

Ramalhete foi companheiro de equipa de Livramento no Benfica, Sporting e na Seleção, mas lembrou o ano em que se desencontraram. Numa final da Taça de Portugal disputada em Cascais, foi Ramalhete a levar a melhor porque já sabia as artimanhas do seu eterno amigo.

"Eu estava no Sporting e ele no Benfica. Disse aos meus colegas para o deixarem ter a bola o máximo de tempo que lhe apetecesse. Já estava habituado à forma dele rematar e fintar. Ganhámos 1-0", recorda.

"Era incentivado pelos próprios adversários"

Já em fase final de carreira, Livramento voltou a Itália para representar o Amatori Lodi. Na época seguinte, ao serviço do Sporting, voltou com Ramalhete à pequena cidade italiana num jogo a contar para as competições europeias.

"Quando nos deslocámos a Itália, o próprio adversário tinha uma tarja a incentivar o próprio Livramento. 'Deus perdoa Livramento não', dizia a tarja. Aqui vê-se a pessoa que ele era", recorda Ramalhete.

Se dentro dos pavilhões Livramento foi lenda, a muito se deveu à sua paixão pelo desporto, competitividade e mentalidade vencedora.

"Tinha a faceta de brincalhão e antes dos jogos costumava jogar às cartas. Se lhe perguntasse qual era a constituição do Salvaterra de Magos ele dizia a constituição da equipa. Sabia as equipas todas da 1.ª à 3.ª divisão. Era um apaixonado pelo desporto e tinha jeito para tudo. Desde o bilhar ao ping pong!".

Por Rafael Godinho
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Hóquei em Patins

Europeu adiado

Campeonato que iria decorrer no mês de julho, em França, vai agora ser disputado em 2021

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.