Hamilton sagrou-se campeão mundial pela quinta vez numa "corrida horrível"

Piloto britânico terminou Grande Prémio do México em quarto lugar

O britânico Lewis Hamilton conquistou este domingo no México o quinto título de campeão mundial de Fórmula 1 da sua carreira, o terminar em quarto numa corrida que apelidou de "horrível".

O piloto da Mercedes sofreu com o desgaste excessivo dos pneus e nunca teve ritmo para acompanhar os pilotos da frente, sobretudo os dois Red Bull, do holandês Max Verstappen e do australiano Daniel Ricciardo.

Verstappen dominou o Grande Prémio de fio a pavio, depois de um arranque determinado, em que superou Ricciardo e não se deixou surpreender pela maior potência do Mercedes de Hamilton no final da grande reta do circuito Hermanos Rodriguez, na Cidade do México.

O holandês demorou 1:38.28,851 horas a cumprir as 71 voltas ao traçado, onde se realizou a 19.ª e antepenúltima prova da temporada, deixando o Ferrari do alemão Sebastian Vettel a 17,316 segundos e o do finlandês Kimi Raikkonen a 49,914 segundos.

"Passei uma noite horrível, mal dormi, tal a determinação que tinha em vencer aqui hoje", sublinhou o holandês, no final. Nas últimas dez voltas, o seu coração esteve em permanente sobressalto, devido à avaria no motor do Red Bull do seu companheiro de equipa, que atirou o australiano Daniel Ricciardo para fora de prova. "Nunca queremos que aconteça o mesmo ao nosso carro", confessou.

Mesmo fora do pódio, o quarto lugar de Lewis Hamilton, a 1.18,738 minutos foi o suficiente para os festejos do título, mais intensos nas boxes do que dentro do carro número 44.

"Foi uma corrida horrível. Fiz um bom arranque, mas depois não sei o que aconteceu a partir de certa altura. Já só queria trazer o carro até final", explicou o britânico, que após a primeira paragem nas boxes para trocar de pneus se mostrou muito crítico do equilíbrio do carro.

Já mais calmo depois de cortar a meta, lembrou que corre para a Mercedes "desde os 13 anos" e que o quinto título tem "um significado especial", pois permite igualar Juan Manuel Fangio "que conquistou os seus cinco campeonatos pela Mercedes", em 1951, 1954, 1955, 1956 e 1957.

O alemão Sebastian Vettel foi o grande derrotado do dia pois precisava de vencer para sonhar em adiar o título por mais uma prova (e que Hamilton ficasse abaixo de sétimo) mas nem isso conseguiu fazer.

"Admito que não é um dia fácil, mas foi um campeonato merecido", comentou, ao microfone de David Coulthard, encarregue das entrevistas do pódio. "Onde perdi o título? Não vou responder a isso agora", concluiu, antes de ir cumprimentar o novo campeão.

O Mundial conclui-se com o Grande Prémio do Brasil, em 11 de novembro, e o Grande Prémio de Abu Dhabi, do dia 25 do mesmo mês.

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Fórmula 1

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.