Pai de Miguel Oliveira "revoltado" após morte do primo de Viñales: «Tudo são lances de corrida...»

Paulo Oliveira pede às instâncias que gerem o motociclismo internacional regulamentos de segurança mais firmes

• Foto: DR
Paulo Oliveira, pai de Miguel Oliveira, mostrou a sua revolta nas redes sociais depois do acidente em Jerez que ontem vitimou Dean Berta Viñales, de apenas 15 anos, primo de Maverick Viñales, piloto espanhol do MotoGP. O pai do português diz que não se pode "chegar ao topo a qualquer custo" e que é preciso "sancionar fortemente aqueles que dão um mau exemplo".

"Faz falta que os responsáveis pelo motociclismo, como a FIM - Fédération Internationale de Motocyclisme - hajam em prol do desporto, criando regulamentos de segurança para que o motociclismo continue a ser praticado em segurança", acrescenta o antigo piloto.

Leia a mensagem na íntegra:

"Mais uma daquelas notícias que diz a última coisa que se pretende ouvir... Esta é a terceira este ano, e se das outras fui capaz de escrever nada, hoje vou fazê-lo.

Estou revoltado com mais esta morte no desporto. Tenho um filho piloto e apoio e dou o meu contributo para formar outros. E chegar ao topo não pode ser a qualquer custo! Existe muito empenho e trabalho por parte de todos intervenientes! Pilotos, pais, familia, amigos, patrocinadores, professores e etc, mas falta algo mais... Bom senso! O bom senso de dar o exemplo e disciplinar! Dar o exemplo por vezes é sancionar fortemente aqueles que dão um mau exemplo. O MotoGP tem-se revelado pouco exemplar nas sanções, tudo são lances de corrida... Este mau exemplo ajuda a que os jovens nas categorias de formação, que também eles podem a qualquer custo, almejar a posição. E é "O" a qualquer custo que hoje interessa... Parece ser os resultados e os super-heróis os únicos que vingam... Mas não são. Faz falta que os responsáveis pelo motociclismo, como a FIM - Fédération Internationale de Motocyclisme - hajam em prol do desporto, criando regulamentos de segurança para que o motociclismo continue a ser praticado em segurança.

Este ano partiram o Jason, o Hugo e hoje o Dean, estou muito triste... O motociclismo merece mais. Merece que estes miúdos tenham a oportunidade de serem exemplos na sociedade e partilhem com o mundo as emoções e a adrenalina que nos move no dia a dia.

À família Dean Berta Viñales agradeço as emoções que partilharam comigo assim como desejo muita força e coragem para passar este momento..."

Por Record
12
Deixe o seu comentário
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

Ultimas de MotoGP

Notícias