Djokovic pede desculpa por atitude no US Open: «Tão involuntária. Tão errada»

Tenista sérvio foi desqualificado e assume que "toda esta situação" o deixou "triste e vazio"

A carregar o vídeo ...
Escândalo no US Open: Djokovic desqualificado após bolada numa juíza de linha

O tenista sérvio Novak Djokovic, número 1 mundial, pediu no domingo desculpas pelo seu comportamento no Open dos Estados Unidos, que lhe valeu a desqualificação no jogo dos oitavos de final com o espanhol Pablo Carreña-Busta.

"Peço desculpas ao US Open e a todos os que foram afetados pelo meu comportamento. Tão involuntário. Tão errado", escreveu Djokovic, na sua conta oficial do Instagram, acrescentando que "toda esta situação" o deixou "triste e vazio".

O primeiro cabeça de série explicou que já se inteirou da situação da juiz de linha que atingiu com uma bola, após sofrer um break e ficar a perder por 6-5 no primeiro set, mostrando -se satisfeito com o que ouvi.

"Graças a Deus, ela está a sentir-se bem", prosseguiu o sérvio, mostrando-se "extremamente desolado" por lhe ter provocado "grande stress", embora garantindo que se tratou de uma ação "tão involuntária", mas também "tão errada".

Em relação à desqualificação, Djokovic afirmou que precisa de "fazer uma introspeção e trabalhar em cima desta deceção", de forma a que esta situação "sirva de lição" para o seu "crescimento como jogar e ser humano".

"Estou muito grato à minha família e à minha equipa por serem o meu apoio e aos meus fãs por estarem sempre presentes. Obrigado e sinto muito", finalizou Djokovic.

O sérvio sofreu no domingo a primeira derrota do ano, após um perfeito 26-0, ao acertar uma 'bolada' numa juiz de linha e ser desqualificado do Open dos Estados Unidos, em embate dos oitavos de final da prova.

Depois de sofrer o break no 11.º jogo do primeiro set, ficando a perder por 6-5 com o espanhol Pablo Carreño-Busta, o número 1 mundial atirou uma bola para a linha de fundo, de costas, e esta embateu numa juiz de linha, que tombou.

O grande favorito à vitória na prova pediu, prontamente, desculpas, enquanto de abeirou da juiz de linha, que ficou momentaneamente em dificuldades, por ter levado com a bola na garganta, mas já nada havia a fazer.

De imediato, os juízes do encontro reuniram-se em pleno court, incluindo o árbitro do torneio Soeren Friemel, e, alguns minutos depois, o juiz de cadeira, Aurelie Tourte, comunicou a desqualificação do jogador sérvio.

Djokovic caiu, assim, pelo segundo ano consecutivo na quarta ronda do US Open, um ano depois de ter sido afastado na mesma fase pelo suíço Stan Wawrinka, ao desistir, lesionado no ombro esquerdo, quando perdia por 6-4, 7-5 e 2-1.

Desta vez, o sérvio, de 33 anos, era o grande favorito a um quarto triunfo na prova, depois de 2011, 2015 e 2018, até pelas várias ausências, nomeadamente do suíço Roger Federer e do espanhol Rafael Nadal.

Por seu lado, Pablo Carreño-Busta, que em 2017 foi semi-finalista da prova norte-americana, segue para os quartos de final, nos quais vai defrontar o vencedor do embate entre o belga David Goffin e o canadiano Denis Shapovalov.

Por Lusa

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de US Open

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.