Record

Assinatura Digital Premium Saiba mais

Heróis de chuteiras

César Rodrigues
César Rodrigues Investigador

Homem de papel

Hoje invoca-se Matthias Sindelar, o mais cintilante futebolista austríaco, integrante da ‘Wunderteam’, a equipa-maravilha da Áustria da década de 1930.

Apelidado de ‘Homem de Papel’ devido à sua silhueta ligeira e falecido aos 35 anos, foi considerado o melhor desportista austríaco do século XX.

Sindelar, o ‘Mozart do Futebol’, orquestrou a Áustria em 43 concertos com 27 golos. Entre 1931 e 1934, contribuiu para grandes vitórias como os 8-2 à Hungria, onde fez um papelão: 5 assistências e… 3 golos!

Em 1932, marcou o seu melhor golo contra a Inglaterra quando partiu do meio campo e fintou os ingleses que o tentaram contrariar. Talvez em 1986, Maradona não tenha feito um golo singular, mas antes um golo… Sindelar!

No Mundial de 1934, fez o primeiro golo austríaco em Mundiais. O sonho terminou na meia-final. A chuva desfavoreceu o jogo austríaco, o árbitro desafinou e os italianos marcaram (literalmente!) Sindelar e venceram (1-0).

Matthias ainda se destacou no apuramento para o França’38 no qual não participou porque a seleção austríaca… desaparecera! Hitler ordenara a anexação da Áustria e incorporou o ‘Wunderteam’ na ‘Grande Alemanha’. Sindelar não quis reger a nova orquestra, recusando o convite por discordar da… partitura alemã!

Em abril, na comemoração da anexação, desafinou no último jogo da Áustria com a Alemanha. Sindelar festejou fervorosamente o seu golo (vitória por 2-0), junto das atónitas autoridades nazis.

Meses depois, foi encontrado morto no seu apartamento em Viena. Causa oficial do óbito: suicídio, depois acidente, por fuga de monóxido de carbono.

Em surdina, aventava-se outra razão: homicídio, por indicação da Gestapo, que o via como opositor e pró-judeu ou até pelos festejos no golo à Alemanha.

Emudeceu o ‘Mozart do Futebol’, maestro sinfónico que agregou num só homem e numa só peça os sons melódicos do futebol.

Em jogo de ‘Papel, Pedra ou Tesoura’, Sindelar foi coerente com o seu papel, tesoura de corte ao regime e pedra no sapato do nazismo!

Neste tempo do ‘Homem Digital’, Sindelar será lembrado como homem de inspirador papel na história do futebol.
Deixe o seu comentário
M M