Clube dos Pensadores

Joaquim Jorge
Joaquim Jorge Fundador do Clube dos Pensadores

Djokovic vs. Federer

Agradeço ser de uma geração, que me permitiu assistir a esta final entre Djokovic e Federer, e agradeço a Federer e a Djokovic o jogo que proporcionaram.  Já, na 6.ªfeira, tinha assistido a uma grande semi-final, que foi uma final antecipada entre Nadal e Federer.  Não é usual ver tão bom ténis num curto espaço de tempo. Viva o ténis em todo o seu esplendor!

Federer perdeu, mas ficou a sensação que poderia ter vencido. Foi pena! Pois, pode já não voltar a este nível, contudo ele surpreendeu-me pela sua fénix e volta sempre melhor e capaz de fazer coisas incríveis.

Segui o jogo no Domingo passado e até soei de acompanhar este brilhante jogo, pela emoção, virtuosidade dos dois jogadores e o ambiente vivido nas bancadas. Incrível!

Achei esta partida de ténis épica e não dei o tempo por perdido, antes pelo contrário. Neste torneio de Wimbledon tive pena da ausência de Del Potro por lesão, o único que se consegue intrometer na hegemonia deste triunvirato que dura há 15 anos: Nadal, Federer e Djokovic.  São verdadeiros monstros sagrados e há que prestar homenagem a tanta qualidade.

 

Federer teve tudo para fechar a partida, mas Djokovic salvou duas bolas de partida e no final foi ele que venceu.

Federer, para meu espanto, foi melhor, pensei que Djokovic resolveria esta partida rapidamente.

Federer no dia em que se retire, o ténis nunca mais será a mesma coisa. A melhor coisa que teve esta partida para Federer é que sentiu que pode continuar e continuará no topo.

Há um incremento da longevidade de um ser humano, como a melhoria do seu estado físico. Hoje em dia, há técnicas e procedimentos para manter um atleta ao mais alto nível.

Djokovic é um grande desportista, um grande campeão e um tipo porreiro. Aceita que Federer tenha mais fãs, mas isso não o desmoraliza e até funciona como incentivo para vencer.

A rivalidade entre Federer, Nadal e Djokovic tem sido brutal e vai continuar, temos a seguir o US Open. Contudo a sã convivência entre eles é um exemplo para todo o desporto, podem ser rivais e adversários, mas não são inimigos.

Federer mesmo na derrota é um senhor, a jogar faz coisas que nos deixa boquiabertos, por vezes, torna as coisas difíceis, fáceis e no court parece que está num bailado, com beleza e elegância à mistura.

Termino dizendo: Federer, por favor, continua o ténis precisa de ti.

 

Nota: Parabéns à selecção de Portugal de hóquei em patins, que se sagrou campeã mundial.

 

Fundador do Clube dos Pensadores

*escrevo ao abrigo do antigo AO

Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade
apenas 1€ por mês
experimente sem compromisso e garanta o seu lugar na bancada da melhor informação deportiva.
  • conteudo record em qualquer sítio e a toda a hora
  • acesso no pc, tablet e smartphone
  • versão e-paper do jornal no dia anterior
  • conteudos exclusivos para assinantes
  • suplementos especiais

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.