Números da Liga

Luís Avelãs
Luís Avelãs Jornalista

Quando os penáltis são uma verdadeira raridade

Falta apenas uma jornada para encerrar a temporada 2017/18. Significa isso que cada um dos 18 clubes participantes já realizou 33 jogos. Como seria de esperar, o que não faltam são dados estatísticos inesperados mas, convenhamos, alguns são mais improváveis do que outros. Destacamos dois que estão diretamente relacionados com os penáltis, questão que semanalmente alimenta as polémicas dos adeptos de todos os emblemas. Fique então a saber que um clube (Marítimo) está prestes a fechar a época sem beneficiar de um só castigo máximo, enquanto outro (FC Porto) se apresta para concluir o campeonato sem ser sancionado com nenhum.

Feitas as contas – e mesmo sem contabilizar os períodos de compensação –, cada equipa já disputou 2.970 minutos, o que equivale a mais de 49 horas. Sim, cada emblema tem ligeiramente mais de dois dias inteiros de futebol na competição. Perceber que os madeirenses não conquistaram nenhum penálti em todo esse tempo ou que os novos campeões nacionais não cometeram um único é algo que, à primeira vista, poucos admitiriam como possível. Mas é exatamente isso que os dados demonstram.

Os insulares já vão em 50 encontros consecutivos na principal divisão sem um penálti a favor (o último surgiu na 17.ª jornada da época passada, na vitória caseira diante do P. Ferreira por 3-1), enquanto os portistas somam 38 desafios sem cometer faltas dentro da respetiva grande área (desde a ronda 29 da temporada passada, aquando do empate 1-1 em Braga).

A situação do Marítimo é particularmente curiosaporque, ao mesmo tempo que não conta com um só penálti a favor, a formação liderada por Daniel Ramos soma nove contra. É mesmo o conjunto mais castigado, depois de nesta ronda ter visto serem assinalados dois na goleada (1-4) sofrida em Chaves.

Não é nada comum, em Portugal ou em qualquer outra liga de topo, encontrar clubes que fecham uma época sem penáltis a favor ou contra. Entre nós, há que recuar até à temporada 2008/09 para deparar com uma equipa (Naval ) que passou toda a época sem ver os juízes sancioná-la com penáltis. Quanto a um campeonato sem beneficiar de castigos máximos é preciso ir ainda mais atrás, até à temporada 2006/07, quando tal sucedeu a Marítimo, Aves e V. Setúbal.

Sabia que...

O Belenenses já tinha tido um jogo com dois penáltis a favor? Antes da receção ao Portimonense, os azuis beneficiaram de dois penáltis contra o Sporting, também no Restelo. Chaves e Portimonense são as outras equipas com dois encontros com um par de penáltis a favor.

No Estoril-V. Setúbal ambas as formações estabeleceram dois registos invulgares? Os canarinhos, pela primeira vez na temporada, não conquistaram um único canto, ao passo que os sadinos atingiram pela primeira vez os dez. Até à data, a formação de José Couceiro não ultrapassara os 8 cantos (duas vezes).

O recorde de remates do Marítimo não serviu para nada? Em Chaves, os madeirense visaram 16 vezes a baliza flaviense, mas esse máximo na época não impediu que a equipa fosse goleada (1-4). Acrescente-se que o Marítimo é o conjunto com menos ‘disparos’ na temporada (269). O ranking da especialidade é liderado pelo FC Porto (536), com Benfica (524) e Sp. Braga (433) nas posições imediatas.

2
Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade
apenas 1€ por mês
experimente sem compromisso e garanta o seu lugar na bancada da melhor informação deportiva.
  • conteudo record em qualquer sítio e a toda a hora
  • acesso no pc, tablet e smartphone
  • versão e-paper do jornal no dia anterior
  • conteudos exclusivos para assinantes
  • suplementos especiais

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.