Porto, Porto, Porto

Nuno Encarnação
Nuno Encarnação

Desilu(i)são na despedida

Confesso que anteontem, ao ouvir as notícias, fiquei surpreso com o adeus de Luisão. A Luz continua a ser pródiga em surpresas todas as semanas. No dia 9 de julho, Luisão dizia: "Quando se fala de Luisão e Benfica, não dá para desligar uma coisa da outra. Que lotem os estádios para que possa desfrutar este ano." Os estádios lotaram, Luisão queria o Benfica, mas o Benfica não quis Luisão. Luisão não desfrutou, a luz apagou o Girafa. A renovação que Vieira prometera de um ano durou pouco mais de dois meses. Mais parecia uma ação de despejo. Luisão não merecia, os adeptos muito menos.

Encenaram um adeus à pressa, à velocidade da luz, com a mesma rapidez de um adeus a Paulo Gonçalves ou a Pedro Guerra quando cessaram funções no clube. Luisão merecia uma homenagem dos adeptos e não um exclusivo adeus dos dirigentes do croquete. Luisão merecia casa cheia, merecia a última titularidade até aos 89 minutos, merecia sair aplaudido de pé pela massa adepta do Benfica.

A emoção de Vieira não contagiou o rosto estampado de desilusão deste Capitão. Estranha pressa esta do Benfica em arrumar a casa, estranho cumprimento aquele de Vitória nesta última homenagem.
538 jogos depois, 47 golos marcados não foram suficientes para abrir um estádio a toda a nação Benfiquista. Teve mais aplausos o golo de Renato Sanches na Luz do que a saída do Capitão.

É certo que Luisão presenciou 24 títulos do meu Porto nas 15 épocas que esteve na Luz, teve o privilégio de ver de muito perto o golo de Kelvin no Dragão, de olhar para Jesus ajoelhado e mais recentemente de fazer parte das 8 derrotas seguidas que Vitória obteve na Champions. Mágoa teve ao não ganhar uma final europeia. Perguntará hoje Luisão: e depois do adeus, o que faço aqui? Vieira aplicou o ‘slogan’ "vá para fora cá dentro" ao nomeá-lo diretor para as relações internacionais do Benfica.

Critiquei diversas vezes Luisão, não apenas pelos 111 amarelos que viu, mas sobretudo pelos outros que ficaram no bolso de muitos árbitros. Critiquei esta renovação, quando se percebia que seria penosa esta última época na Luz. Mas nunca deixei de lhe reconhecer uma ‘irritante’ qualidade desportiva nos seus anos de sucesso.

Apesar da rivalidade, um bem-haja, Luisão, é um adepto do Porto quem o diz!

Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade
apenas 1€ por mês
experimente sem compromisso e garanta o seu lugar na bancada da melhor informação desportiva.
  • conteúdo record em qualquer sítio e a toda a hora
  • acesso no pc, tablet e smartphone
  • versão epaper do jornal no dia anterior
  • conteúdos exclusivos para assinantes
  • suplementos especiais

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.