A importância da nutrição na luta contra o coronavírus

Nutricionista explica os cuidados a ter neste período

• Foto: Getty Images

À data de hoje somos invadidos pela notícia que nenhum de nós queria ouvir: uma pandemia. Caracteriza-se por pandemia uma epidemia, ou seja, um aumento inesperado e rápido no número de casos de uma patologia, normalmente, acima do que é expectável, adquirindo proporções em vários países e continentes, geralmente afetando um grande número de pessoas.

COVID-19 é o nome da doença que é provocada pela infeção do coronavírus SARS-CoV-2. Este coronavírus foi identificado pela primeira vez, na China, no passado mês de dezembro de 2019. A fonte de infeção ainda é desconhecida e, por este facto, a prevenção é urgente. A transmissão de pessoa em pessoa está confirmada sendo os coronavírus uma família de vírus que podem causar infeções, afetando o sistema respiratório, regra geral.

A nutrição pode e deve ser uma ajuda fundamental. Este período de quarentena susceptivel é necessário (assim como durante toda a nossa vida) necessário ter uma alimentação saudável e equilibrada que ajuda no reforço do sistema imunitário. Assim sendo, para tal, é aconselhável nesta fase a:

1.     Aumentar o consumo de vegetais

Mais do que consumir vegetais no âmbito de uma alimentação saudável torna-se essencial consumir vegetais de folha verde escura, nomeadamente, espinafres, couves e brócolos, pela presença de vitamina E, essencial para o combate à inflamação.

2.     Aumentar o consumo de frutas

Pela presença de antocianinas, compostos essenciais para combater a inflamação e responsáveis pela cor é aconselhado o consumo de frutas consideradas anti-inflamatórias, nomeadamente, frutos vermelhos, cerejas, amoras, mirtilos, framboesas e morangos.

3.     Consumir alimentos ricos em vitamina C

Alimentos como os citrinos, pimento, kiwi ou laranja são também aconselhados neste período pela presença de vitamina C.

4.     Aumentar o consumo de vitamina D em caso de quarentena

Em período de quarentena, a presença de vitamina D e, consequentemente, a sua absorção é menor. Assim sendo é recomendável o consumo de alimentos ricos nesta vitamina tais como, salmão, sardinhas e ovos.

5.     Manter a ingestão de fontes de proteína durante este período

Ao longo da vida vamos perdendo massa muscular, sendo esta perca mais acentuada neste período de contingência pela ausência de actividade física e, por isso, a permanência num ambiente mais sedentário. Para evitar esta situação, aconselha-se a manutenção normal do consumo de proteína através de carne, peixe, ovos, queijo, fiambre e iogurtes).

6.     Reduzir o consumo de fontes de gordura

Num ambiente tão propicio ao exagero de consumos de alimentos menos saudáveis, aconselha-se a redução do consumo de fontes de gordura, nomeadamente, azeite, molhos, alimentos fritos e/ou salgados.

7.     Reduzir o consumo de produtos com elevado teor energético, nomeadamente, de hidratos de carbono e de gordura

Neste período de quarentena aconselhamos a redução do consumo de produtos ricos em gordura e hidratos de carbono simples (como o açúcar). Assim deve reduzir o consumo de batatas fritas de compra, bolachas, chocolates, gomas e outros alimentos com elevada densidade energética.

8.     Ter em atenção as quantidades de macronutrientes (hidratos de carbono, proteínas e gorduras) ingeridas

Sendo um período de quarentena, qualquer atividade física regular está cancelada. Deste modo, um estilo de vida sedentário instala-se nestes dias. Deste modo, aconselhamos a um extremo cuidado nas quantidades de macronutrientes ingeridos. Deverá ao máximo respeitar as quantidades que já consumidas.

9.     Manter a toma de suplementação, caso tenha sido prescrita

Caso tenha sido prescrita suplementação deverá manter a toma como já fazia. Em caso de dúvidas deve contactar o/a seu/a nutricionista.

10.  Praticar atividade física regular

Estar em casa não significa obrigatoriamente estar parado. Aconselhamos a realização de pequenos exercícios de treino que facilmente consegue realizar em casa. 

A alimentação, como podemos verificar, adquire um papel fundamental. Sugere-se nesta fase outras soluções alimentares, nomeadamente, o consumo de fruta (cozida, assada ou ao natural, onde se pode acrescentar canela para dar sabor), gelatinas light, iogurtes magros sem adição de açúcar (ao qual pode acrescentar canela para dar sabor), pipocas (não deve acrescentar nem sal nem açúcar), tremoços ou queijos frescos, por exemplo.

Ainda assim, terminamos este texto com uma das publicações que mais vemos nas redes sociais. Como o mote "Aos nossos pais e avós pediram-lhes para ir à guerra, a nós pedem-nos para ficar no sofá". Vamos fazer com que esta frase preencha os nossos dias. Respeitemos este pedido para que seja possa possível travar este problema.

Em caso de sentir tosse, dificuldade respiratória e febre (superior a 37,5ºC) contacte de imediato as instituições desenhadas para o efeito.

E caso seja possível fique em casa. Por si e pelos seus. 

Autor: Catarina Pires de Carvalho (Cédula Profissional 2820N) - Nutricionista Mais Nutrição

Deixe o seu comentário
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Record Running

Notícias