Como me tornei mais pleno e realizado através do desporto. Tu também podes ser

A coluna do Dr. Thiago Melo do Espirito Santo

Ser maratonista ou triatleta é um sonho, mas por trás está muita coisa associada, como resiliência, força mental, saúde impecável, qualidade de vida. Tudo isto é o sonho de um adulto jovem. Mas será que todos estão dispostos a pagar o preço para tê-lo? Eu sou triatleta amador desde junho de 2016 e até então nunca havia corrido nem pedalado, muito menos nadado. Então o desafio foi intenso para alguém como eu, que na altura aos 33 anos iria começar do zero um novo estilo de vida.

O motivo maior da grande procura pelos exercícios de alto rendimento hoje tem sido a qualidade de vida e em segundo plano o mindset que quem é atleta de alta performance costuma possuir. Características que levam a um adulto de idade média a se diferenciar perante a população. Afinal, terá uma saúde melhor, uma qualidade e expectativa de vida maior e ainda um poder mental superior para comandar empresas e negócios ou até mesmo as frustrações do dia a dia.

Nos Estados Unidos as doenças cardiovasculares, entre elas a aterosclerose, são a causa mais frequente de morte da atualidade. No Brasil isso não é diferente. As doenças cardiovasculares ainda figuram como a principal causa de óbito. A aterosclerose é uma doença crónico-degenerativa caracterizada por estreitamento da artéria devido à deposição de gordura e cálcio e consequente formação da placa de ateroma, placas lipofibróticas.

Muitas pessoas alegam que a falta de tempo para praticar atividades físicas é um fator limitante. Eu como cirurgião vascular, que atuo em São Paulo e Salvador (cidades brasileiras distantes quase 2 mil quilómetros entre si) e professor universitário consigo encontrar tempo na rotina para ser um atleta de alta performance através da programação de tempo, que tem a ver com o foco no meu objetivo para concluir com êxito os meus treinos. Busco como motivação treinar sempre pensando nas competições, pois estas sim deixam-nos em estado de êxtase. Passar por aqueles pórticos de chegada é uma sensação indescritível de prazer. O triatlo, como todo o 'endurance', é uma luta entre a mente e o corpo e quem pratica tem que ter a mente mais forte do que o corpo, para impedir que se desista no meio do caminho por pensar que não consegue finalizar a prova. Como se imaginaria alguém nadar 4km, pedalar 180km e correr 42km? E se eu disser que ainda fiz a maratona do Rio de Janeiro sete dias após a conclusão do Ironman? O segredo é que a mente manda no corpo. É ela quem define as suas metas e limites.

Que o exercício físico pode auxiliar na prevenção do processo aterogénico contribuindo para o aumento das concentrações de HDL plasmáticos e diminuição dos níveis séricos de LDL, já se é conhecido, mas como isto aconteceria? E o que quer dizer esta frase tão bem elaborada? O exercício físico de alto rendimento (atletas profissionais e amadores com ritmo de treino de elite) contribui na prevenção dos fatores de risco para aterosclerose (placas de gordura e cálcio nas artérias) desde o sedentarismo, hipertensão arterial, diabetes, obesidade até a hipercolesterolemia. O exercício aeróbico de alta intensidade promove a diminuição do colesterol total e o aumento do HDL (colesterol bom), que possui uma ação antioxidante na parede das artérias.

Num atleta de alto rendimento é sabido que além de exercícios aeróbicos de alta intensidade, possuidor de uma associação com dieta balanceada, haverá redução dos níveis de colesterol total, triglicérides e LDL. Então tenho de ser atleta de alto rendimento? Não, mas é preciso mover-se. Um corpo em movimento (exercício físico) tem melhorada a capacidade cardiovascular, menor inflamação sistêmica, menos riscos associados a obesidade e a hipercolesterolemia e melhor esperança de vida.

Então não precisas ser maratonista ou Ironman, precisas de estar em movimento.

O exercício físico contribui para uma melhor saúde mental, serve como coadjuvante para o tratamento da depressão, melhora o nosso sistema imunológico, deixando-nos mais fortes perante as doenças, molda e modela o nosso corpo, muda os nossos hábitos de vida e nos traz amizades com o mesmo propósito, a vida.

Calça as tuas sapatilhas, vai para a rua, caminha, corre, sê feliz. Mas recorda-te que antes de qualquer prática de exercício físico temos que saber se estamos aptos para tal, o que torna necessária sempre uma avaliação médica prévia. O meu conselho é que quem quer se preparar para um 'endurance', escolha os melhores profissionais para o acompanhamento sempre, otimize a sua rotina de trabalho de forma a que consiga descansar bem (eu ainda não consegui isto) e se cobre apenas à medida que for evoluindo. Todos nós somos capazes, basta ter coragem de sair da zona de conforto.

Autor: Dr. Thiago Melo do Espirito Santo
Médico Cirurgião Vascular e Ironman / Maratonista
Instagram: @drthiagomelo

Deixe o seu comentário
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Histórias de superação

Notícias