Médico de Schumacher: «Não faço milagres»

Philippe Menasché é pioneiro na terapia com uso de células estaminais

Em meados de setembro, a imprensa francesa fazia eco da chegada de Michael Schumacher ao  Hospital Georges-Pompidou, em paris, para um tratamento experimental, realizado por Philippe Menasché, membro do conselho de administração Instituto do Cérebro e Medula Espinal do hospital Pitié-Salpêtrière e pioneiro nas terapias com recurso às células estaminais. Mas em entrevista ao jornal italiano 'La Repubblica, Philippe Menasché quebra o silêncio sobre a situação.

"Não faço milagres. Eu e a minha equipa não estamos a fazer qualquer experiência - termo abominável que não corresponde a uma visão séria da medicina", afirmou Menasché à publicação espanhola, negando assim o alegado tratamento que Schumacher estaria a ser submetido.

"Houve uma explosão de atenção sobre o nosso departamento, mas a situação já está normalizada. Nos últimos 20 anos houve muitos progressos, mas ainda sabemos muito pouco sobre células estaminais", sublinhou o médico.

Recorde-se o estado clínico de Michael Schumacher, sete vezes campeão mundial de F1, esteve sempre rodeado de grande secretismo, por vontade da família, após o antigo piloto ter sofrido um acidente em dezembro de 2013, quando esquiava com o filho nos Alpes franceses, tendo batido com a cabeça numa pedra.

2
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Motores

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.